Um livro que contém esperança para todos nós

Um livro que contém esperança para todos nós


Obra traz relatos de como o diagnóstico mudou as vidas de 46 pacientes com doenças graves O ponto de partida foi quando a jornalista e escritora Ana Holanda foi convidada a dar uma oficina de escrita para os frequentadores da Casa Paliativa, um espaço de convivência para pacientes com doenças graves e de prognóstico desfavorável. “Oficina dada, acreditei que minha participação se encerrava ali. Ledo engano. Minhas palavras passaram a morar naquelas pessoas. E textos começaram a nascer. Um atrás do outro”, ela conta na introdução do livro “Contém esperança – histórias sobre viver e conviver com uma doença grave”, da ed...

Estudo comprova associação entre pré-diabetes e risco maior de infarto

Estudo comprova associação entre pré-diabetes e risco maior de infarto


Pacientes com esta condição apresentaram 25% mais chances de sofrer um ataque cardíaco No Endo 2022, encontro anual da Sociedade de Endocrinologia realizado no meio do mês passado, um novo estudo apontou que o pré-diabetes deve ser considerado, isoladamente, um fator de risco para a ocorrência de infarto. Essa é uma condição na qual os níveis de glicose são mais altos do que o normal, mas não o suficiente para haver um diagnóstico da doença. No entanto, a probabilidade de progressão para a enfermidade aumenta significativamente para quem tem valores de glicemia em jejum entre 100 e 125mg/dL, ou de hemoglobina glicada ...

Por que somos mais sujeitos a tonturas ao envelhecer

Por que somos mais sujeitos a tonturas ao envelhecer


Acima dos 60 anos, 20% apresentam algum tipo de limitação de capacidade funcional por causa do problema Tontura, desequilíbrio, visão turva, vertigem. A sensação varia, sempre assusta e se torna mais frequente à medida que envelhecemos. Mas a boa notícia é que, na maioria das vezes, não se trata de nada grave, como afirma a otorrinolaringologista Patricia Ciminelli, mestra e doutora pela UFRJ e coordenadora do ambulatório de zumbido e otoneurologia do hospital universitário da universidade. A otorrinolaringologista Patricia Ciminelli, coordenadora do ambulatório de zumbido e otoneurologia do hospital universitário da ...

Por que a desigualdade é um fator de risco para o Alzheimer

Por que a desigualdade é um fator de risco para o Alzheimer


Ambiente físico e social no qual as pessoas estão inseridas pode aumentar a proteção ou ser ameaça para desenvolver demência Adriana Perez é doutora em enfermagem e professora da University of Pennsylvania. Coordena um grupo multidisciplinar para pesquisar os fatores de risco para demência na comunidade latina nos EUA e tem números assustadores que, segundo ela, costumam deixar as plateias atônitas: “o número de latinos com diagnóstico de Alzheimer vai crescer 800% até 2060, e o ambiente físico e social no qual a pessoa está inserida pode aumentar o risco ou protegê-la da doença”. Idosa com xícara de café: população a...

A vida depois de uma doença grave

A vida depois de uma doença grave


Aprenda a superar os sentimentos negativos e a cuidar da saúde física e mental Relatório divulgado semana passada pela Sociedade Americana do Câncer (ACS na sigla em inglês) mostra que, no começo de 2022, o número de sobreviventes da doença bateu a marca de 18 milhões naquele país, sendo que dois terços têm mais de 65 anos – 53% haviam sido diagnosticados nos últimos dez anos. No Brasil, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se a ocorrência de 620 mil novos casos por ano. Entre os homens, a maior incidência é a do câncer de próstata, que responde por 29,2% do total; entre as mulheres, o de...

O mito do abismo entre as gerações

O mito do abismo entre as gerações


“Clichês e estereótipos alimentam batalhas, como se vivêssemos uma guerra cultural, e nos distraem do que realmente importa”, afirma professor O senso comum sempre aponta para um abismo irreconciliável entre as gerações – e está errado. Esta é a tese do professor de políticas públicas Bobby Duffy, que tive o prazer de conhecer on-line, em palestra que deu ao Instituto de Gerontologia do Departamento de Saúde Global e Medicina Social do King´s College London, onde trabalha. Autor de “O mito geracional: por que quando você nasceu importa menos do que imagina” (“The Generation myth – why when you´re born matters less tha...

Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850

Harvard responderá processo sobre fotos de escravos feitas para pesquisa racista em 1850


Mulher que afirma ser descendente de escravos que foram obrigados a se despir para tirar fotos para um estudo que tentava provar inferioridade dos negros move ação contra famosa universidade. Justiça considerou que instituição deve responder a processo. Em foto de 2019, Tamara Lanier responde a perguntas da imprensa em Nova York. Ela afirma ser descendente de escravos fotografados para um estudo racista de Harvard em 1850 AP/Frank Franklin II A mais alta corte do estado Massachusetts decidiu, nesta quinta-feira (23), que a Universidade Harvard pode ser processada por maltratar uma descendente de escravos que foram for...

Vem aí a nutrição de precisão

Vem aí a nutrição de precisão


O objetivo é criar dietas sob medida, que funcionem de acordo com as características e circunstâncias vividas por cada indivíduo Alguns (ou muitos) quilos a mais? Taxas altas de colesterol? Quem enfrenta esse tipo de desafio quase tem que se satisfazer com uma dieta de restrições – e conheço gente que não pode mais ver peito de frango grelhado com salada... No entanto, se depender da Sociedade Norte-Americana de Nutrição (ANS em inglês), em poucos anos uma revolução mudará os parâmetros da alimentação. No encontro anual da entidade, realizado entre 14 e 16 de junho, a grande vedete das discussões foi a nutrição de pre...

Aposentadoria: quais são as maiores preocupações das mulheres

Aposentadoria: quais são as maiores preocupações das mulheres


Custos crescentes com a saúde e o desafio de bancar cuidados de longo prazo inquietam a força de trabalho feminina Outra atração da conferência AgeAction 2022, tema da coluna da última quinta-feira, foi um painel sobre o que as mulheres querem (e temem) na aposentadoria. Kristi Rodriguez, vice-presidente sênior do Nationwide Retirement Institute, entidade americana voltada para zelar pelos investimentos de aposentados, afirmou que, diante do bônus da longevidade, essa é uma questão que vem ganhando corpo: “elas estão vivendo mais e se perguntam quais serão os desafios que terão pela frente. Saúde e segurança financeir...

<

Clique para falar com
nosso consultor John


(11) 95015-6806